OLHA PRÔ CÉU Segunda, 22.








A energia desta segunda chega valente através da Lua em Áries, aproveite e tome iniciativas em relação a situações que vem adiando.

Haverá tensão com Saturno e dona Lua e poderemos nos sentir meio bloqueados no meio do dia e sentir que a energia deu uma baixa. Afinal, a Lua em Áries quer tudo para ontem! Mas independente desse querer, não vale invalidar o que é possível apenas porque nem tudo flui 100% como espera. Aliás, esperar por isso, seja lá quando for é uma ilusão aprisionante.

Desfrute deste impulso lunar ariano ao invés de deixar-se levar pela melancolia que o aspecto pode trazer. Sinta, é claro. Mas não se paralise.

Ao mesmo tempo Plutão e Mercúrio se entendem, permitindo uma percepção nada superficial das coisas e isso é maravilhoso, pois nos permite olhar para além do que está estampado na nossa frente.

Coloque um texto muito próximo ao seu rosto, uma pintura, uma frase . O que acontece? Pois é, não é possível distinguir nada. Ao contrário, quando afasta um pouco ganha clareza e nova perspectiva. 

Permite enxergar “através” e ver além. 

Experimente, com tudo que existe nessa VIDA. 


Mônica Bergamo

QUIRON DIA DO MÉDICO








Em homenagem ao Dia do Médico e ao Curador Ferido que existe em cada um de nós.

VIVA OS QUE NÃO PERDERAM A SUA HUMANIDADE!

"Grande parte de vosso sofrimento é por vós próprios escolhidos. É a amarga poção com a qual o médico que vive dentro de vós cura o vosso Eu doente. Confiai, portanto, no médico e bebei seu remédio em silêncio e tranquilidade: pois sua mão, embora pesada e dura, é guiada pela suave mão do Invisível."
KAHLIL GIBRAN

Obs. - 
Para quem não conhece, Quiron é um asteroide entre a órbita de Saturno e de Urano. Ou seja, entre o passado e o futuro. Ele representa o Curador Ferido, o tema da dor e da cura, capaz de promover a cura porque sente na carne a própria dor da sua ferida. Nossas feridas psíquicas também estão enredadas aí, com origem na nossa infância e apontando nossa vulnerabilidade. Uma por uma, as feridas deverão ser reconhecidas e acalentadas. Primeiro uma, depois a outra, até que possa compreender que elas têm a mesma raiz.

OLHA PRÔ CÈU Sexta, 19.





Jogo de cintura + criatividade para inovar, é um dos mantras do momento de especial tensão dos últimos e próximos dias.

Quem ficar na rigidez, quebra.
Seja bambu, que enverga acompanhando o vento que sopra, mas com suas raízes bem firmes no solo.
Seja flexibilidade.  

#LuaharmoniaSol
#LuaharmoniaPlutão
#LuaharmoniaNetuno
#MercurioharmoniaNetuno
#MercuriotensãoMarte



OLHA PRÔ CÉU Quinta, 18 outubro.





















Dia cheio de pontas prontas para cutucar!
Sabem aquela expressão facial em que a pessoa revira os zóio para cima e bufa junto? Meio isso.

Impaciência até não poder, nervos à flor da pele, intolerância, típico para se trancar em casa, assistir sessão da tarde comendo pipoca, se quiser dar uma boa desviada das encrencas.

Mas, esta pode até ser uma saída confortável a nível imediato, mas não saímos do lugar com ela. Até porque o que sobra nestes tempos e quem sabe em outros também, é intolerância. Por outro lado, que falta anda fazendo um pensamento mais abrangente, oxigenado, com começo, meio e fim.

Rever os próprios conceitos e tê-los claros é uma maneira de cuidar da comunicação que estará sofrida.

É tanta coisa, junto com o tempo que voa inalcançável, que essa parada pode ser bem produtiva.

Não vai ser suave, mas não desistimos certo?

#LuatensãoMercúrio
#LuaconjunçãoMarte






SUA CRIANÇA INTERIOR

Leitura Astrológica

Nossas memórias tem sangue nas veias.
Mas não precisam apenas nos assombrar e sim serem compreendidas e integradas na nossa consciência. 
Nossa Criança, que anda bamba pela VIDA, muitas vezes nos dominando por conta das suas feridas, precisa ganhar outro lugar dentro de nós: o de parceira.
Como? Conhecendo-a.   
Conheça sua Criança Interior!


OLHA PRÔ CÉU 16 outubro, terça feira







A Lua colará em Plutão e estará em tensão com o Sol, mas lá para o final do dia relaxa com Júpiter, que ninguém é de ferro.

Essa parceria com Plutão faz com que de alguma maneira a gente se inspire para buscar o que não é evidente, mas pressente que está lá, “por trás das coisas”.

Um espírito meio detetivesco toma conta da gente como se as aparências de fato não convencessem ninguém. E isso tudo com uma grande fissura, uma vontade forte mesmo de não sossegar enquanto não descobrir.

Ao mesmo tempo, as emoções trazem desconforto e desassossego e quanto mais pegarmos no pé de nós mesmos pior será.

Comprometa-se com o seu melhor e pare de se cobrar  alucinadamente como se não houvesse amanhã, pois  isso só traz mais tensão. Esta cobrança tem uma energia meio madrasta, para que isso? O seu melhor é mais do que suficiente.

Concentre-se em criar ou identificar situações em que se sinta em segurança emocional, porto seguro afetivo. E manifeste-se, compartilhe, declare, demonstre. Esta ação gera cumplicidade e dá sustentação a muitas coisas fundamentais, de dentro para fora, que é a verdadeira viga mestra.






VÊNUS RETRÔ atualizações





OLHA PRÔ CÉU
VÊNUS RETRÔ atualizações

“Eu gostaria de me lançar ao mar que traz todas as chances
Para qual terra não importa
Desde que minhas feridas tenham cura.”
Tristão e Isolda.
E aí, como vão de Vênus retro?
E a vontade de tentar aquela aproximada, aquele “será que vale a pena ver de novo” que está no cansaço de saber que não vale, mas que a tentação do prazer imediato não se cansa de cutucar?
Como é duro desistir! Ou desapegar, que parece mais evoluído, mas a dor é igual...
Olha, não existem regras, verdade?
Mas o caminho da maturidade nos impulsiona a abrir mão de desejos infantis para que possamos crescer e de fato nos nutrirmos e trocarmos com o outro a partir do que cada um é, deixando fantasias e projeções de lado.
Em alguns muitos momentos pouco importa se estamos atirando no próprio pé, a gente quer é o repeteco daquela experiência, o lado bom é claro.
Ih, é difícil querermos saber se é o nosso Inconsciente no comando ansiando por satisfações infantis. Se é nossa Sombra ou Nossa Criança que está no comando.
Mas aqui, nestes tempos de Vênus retro um fato é inegável: a oportunidade de ao olhar para estas vivências que tentam e aprisionam, nos conhecermos mais e acumularmos experiências que possam ser tão prazerosas quanto as que estamos revisitando dentro das nossas memórias ou no contato com o outro mesmo.
Que possamos permitir o próprio crescimento, compreendendo a necessidade de olhar as coisas mais profundamente, com lente de aumento, sem que o receio do que podemos encontrar nos paralise.
Autoconhecimento é o grande companheiro da jornada.
Criatura reapareceu do passado? Você foi buscar?
O que importa é dar o sangue, investir, suar para conseguir olhar com olhos de realidade. Para não cometer os mesmos equívocos, para poder de fato construir.
Para isso não precisa deixar as fantasias de lado e nem as tentações, elas podem sim ser vividas com consciência e investimento.
Isso sem falar na mão de obra que essas histórias dão, no efeito zumbi, na dor no corpo, no nó na garganta às vezes por cinco minutinhos que parecem valer a vida.
Eu sei, eu sei, eu sei.

"SUA CRIANÇA INTERIOR"











Estudo Astrológico da sua Criança Interior? Pois é, isso mesmo.
Suponha que quando nasceu seus pais encomendaram o seu Mapa Astral Infantil para um astrólogo de sua confiança. 
Como seria você, enquanto semente potencial em sua infância? Quais teriam sido as orientações que seus pais receberam? O quanto esteve próximo ou distante deste potencial? 

Este é o material que receberá agora.
Nossa Criança Interior continua a existir dentro do universo adulto independente do tempo que biologicamente percorremos.
A infância não permanece congelada lá atrás, ela nos acompanha através de conteúdos de mágoa, ressentimento, rejeição, medo, experiências alegres e que são férteis até hoje na vida adulta. Não importa se somos pais, mães, avós, avôs.
Esta leitura astrológica é um convite para que você possa reconhecer e observar sua semente potencial brotando na vida e refletir a respeito desse início do seu estar no mundo, lugar para onde inevitavelmente retorna à procura de melhor compreensão de quem é hoje. Sempre olhando para a infância e tentando compreender o presente.
Qual foi o solo, fértil ou não que encontrou, de que maneira pode ou não se expressar, quais as imagens, curiosidades, sensações, odores, cores, temperaturas, sons que compõe as suas lembranças?
Ao compreender aonde foi que permaneceu próximo ou distante da sua semente potencial e amorosamente acolher e embalar suas feridas, pode se reconciliar com o que é seu, mas desconhece. Partes decepadas de si, e que por um motivo ou por outro deixou para trás.
Ao nos colocarmos de maneira mais generosa e flexível diante da vida, menos acusatórios não apenas em relação a nós mesmos, mas também em relação aos nossos pais e às circunstâncias de suas próprias histórias e da criança que seus pais também já foram um dia, poderemos então festejar aquilo que deu certo, apesar das dificuldades e que nos permitirá seguir pela vida com mais assertividade, vigor, alegria e poesia.
Então, esta seria a orientação que seus pais receberiam, a partir do entendimento do seu céu interior. A leitura astrológica do SEU Mapa Astral Infantil. E que você, enquanto adulto, pode usar como mais uma sensível ferramenta de autoconhecimento.
A leitura contém também a interpretação do seu ponto de maior desafio no exercício do viver, e que ao ser compreendido, é também a sua grande possibilidade de crescimento.

A QUEM SE DESTINA: a todos, que independente da sua idade biológica, desejam conhecer e compreender melhor a sua semente potencial, que hoje adulto, se traduz através da Sua Criança Interior.

O QUE É PRECISO: dia, mês, ano, horário correto de nascimento e cidade em que nasceu, uma foto significativa da sua infância.

Valor, forma de pagamento, prazo de entrega, aqui na pag. Consultas do site.  

OLHA PRÔ CÉU Quinta, dia 11.






É preciso que a busca por equilíbrio seja vigorosa, este é o chamado.
Equilíbrio nas relações de todo tipo, na comunicação, no que buscamos e ofertamos, ou seja, a justa medida.
Isso chega com força e dificilmente alguém vai conseguir ficar sem se posicionar seja com ou sem discussões mais inflamadas.
A Lua está em Scorpio, ontem Mercúrio entrou por este signo e Vênus aí está também em movimento retrô.
Imaginem o caldeirão de sensibilidade, afetos e razão em ebulição. Plutão é o Senhor desse caldeirão. E o que Plutão quer? Controle e poder.
Nem considera o Sol libriano, quer mais é deitar e rolar na energia escorpiana do tal caldeirão.
Urano na oposição deste povo do Escorpião não se abala com a possibilidade de rupturas, afinal, cada qual com a sua natureza.
E o chamado para que se respeite a própria individualidade também vem forte!
Isso é um fato, mas se puder acontecer sem ser através das loucuras da vida, tanto melhor. Não por nada, mas é que num tempo de tantos desgastes...
Júpiter (cujo post do ano passado, quando foi a entrada em Escorpião, eu repostei hoje) está na porta de saída. Iluminando recantos sombrios relativos a recursos financeiros, sexualidade, excessos e abusos de toda ordem.
Diria que esta quinta é um dia meio saia justa, desconfortável, bicudo e com arestas a serem aparadas.
Busque tornar tudo o mais compreensível possível, clareie o que puder evitando trabalho dobrado: o que ficar mal parado precisará ser esclarecido.
Passe o rodo em pensamentos que nada têm a acrescentar!
A demanda emocional já será suficiente para focar sua força e energia em busca de vitalidade para resolver o que for preciso com cautela e menos desgaste.
O bicho tá solto feito aqueles touros que a gente coloca a moedinha só para ele nos jogar no chão.
Rs*
Humor capri, desculpe aí.
Mônica Bergamo

MERCÚRIO EM ESCORPIÃO até dia 31






OLHA PRÔ CÉU
Mercúrio entrará em Escorpião logo mais às 21h45m e aí permanecerá até dia 31.

Sabe aquela mente Sherlock Homes, que carrega um pocket Agatha Christie no bolso, DNA de detetive, sempre disposto a descobrir o que há por trás das coisas? Pois bem, este é Mercúrio atravessando Escorpião.
Intuição pura, hipersensitividade, não é preciso muito para que se arrepie diante de uma suspeita ou que suas antenas se coloquem em prontidão diante de um pensamento, vamos dizer assim, mais persecutório.
Mesmo que sua expressão seja mais contida, internamente tudo é over em Mercúrio em Escorpião.  O profundo envolvimento emocional em tudo o que pensa, sente e fala o coloca numa situação de vulnerabilidade que acaba gerando esta desconfiança básica em relação ao outro que o ameaça e consequentemente o torna defensivo.
E aí podem surgir verdadeiros ringues verbais, onde não escuta nem o que diz, tampouco o que o outro diz. Ou seja, a comunicação fica completamente truncada e ineficiente.
Ao contrário, se exercitar seu poder de reflexão e aprender a ouvir e a expor seus sentimentos, aí sim toda a sua sensibilidade e profundidade poderão ser corretamente utilizadas e tornar-se verdadeiramente produtivas e especiais.
Escrever sobre o que se passa através das correntezas do seu mundo interno é curativo e fortalecedor.
Superficialidades não exercem o menor interesse sobre ele. Mas qualquer assunto que precise de discrição, recheado de temas indigestos para a maioria dos seres mortais, isso é motivo de grande interesse e satisfação.
Mercúrio em Escorpião não fala qualquer coisa, não pensa qualquer coisa. Seu comprometimento é com o que faz link direto com a alma humana e suas particularidades. Mercúrio em Escorpião deseja e se vincula com o que ninguém vê.
Ao invés de se deixar intoxicar por emoções mal esclarecidas, o fundamental para este posicionamento celeste é que aprenda a deixar fluir seus sentimentos fazendo valer toda sua singular intensidade e capacidade de perceber o que está para muito além da superfície.


A quem interessar possa.









A quem interessar possa.

Esta é sim uma página dedicada à Astrologia. Porém quem pulsa as interpretações, o olhar para o mundo, o recorte do que vai eleger para falar em determinado momento é uma pessoa, eu.

Que tem múltiplos interesses, amores, cores preferidas, identificações.

Tenho "turma" e minha posição diante do que quer que seja, nunca é neutra, não compactuo com o que não acredito, não faço silencio porque convém.

Não brigo à toa mas cultivo minha indignação e jamais me acomodo diante de uma discussão que faça sentido para mim.

A retidão de caráter é minha viga e não espero que ninguém concorde comigo.

Mas desde que me conheço por gente tenho em mim a liberdade de fazer o que manda meu coração, minha intuição e minha ética, em qualquer assunto que me pertença.

Não me sinto desconfortável em adotar posições flexíveis se o meu objetivo é claro e o movimento constante me aproxima do meu foco.

Assim, se alguém busca aqui uma Astrologia estanque, sem permeabilidade ao que é do humano a cada momento, não está em sua casa.

Não busco números acumulados por seguidores.

Tenho sim é um apreço, um respeito e um carinho gigantesco por quem está receptivo ao que tento comunicar.

Agradeço com a minha alma cada um que compartilha seu céu comigo.

Agora, pelo amor do Buda vivo, santos, deuses e orixás!

Quem estiver a fim de dar uma de franco atirador, aqui não ė lugar.

A ignorância de alma, a visão automatizada e reduzida embora mereça compaixão é um insulto.

Vão beijar na boca, lavar um tanque de roupa, se acalmar, se informar, dar uma volta.

Aqui, cabe indignação e discordâncias.

Mas simpatizantes da violência, do fascismo, do ódio, do racismo e reacionários não passarão.

Mônica Bergamo

OLHA PRÔ SEU CÉU INTERIOR 05.outubro. 2018








OLHA PRÔ SEU CÉU INTERIOR
05.outubro. 2018

Muita gente fala que a VIDA deveria ter trilha sonora, e ela tem. Só que nem sempre atualizamos a play list.

O som que eu introduziria agora na minha é daqueles passos que vão chegando de longe, com ritmo, volume aumentando, reverberando em cada célula. A energia é tensa, poderosa, de singular impulso.

Atenção com o que pode te colocar em risco quase imediato.
Respire e oxigene os nós apertados dentro de você.

O poder enlouquecido deve ser questionado desde as vísceras gritando um basta!

Os ajustes se fazem urgentes, através de correção nos abusos, no mau uso do poder.

Estamos robotizados?

A hora de decidir é agora.

O mundo está convulsionando e absurdos jamais deveriam ser aceitos passivamente. 

Eles se transformarão em imensas espinhas atravessadas na nossa garganta que precisarão ser removidas a tempo para que possamos continuar a respirar. 

Sombras gigantescas ganham mais volume e toda ordem de sentimentos e comportamentos inaceitáveis precisam gritar por espaço. 

Estamos sim diante de um final de ciclo, de uma determinada maneira de estar e experimentar a VIDA. O clima apocalipse now está aí escancarado.

Que a energia densa possa ser depurada!

Humores e sentimentos pessoais que foram negados vêm à tona. A insatisfação fica clara, não há como disfarçar mais nada, graças aos deuses e humanos empenhados!

E é este acúmulo que vai ser o motor para as atitudes que precisarão ser tomadas.

Sempre que penso nisso, me vem a imagem do monstro do lago, saindo de águas aparentemente calmas, furioso,  urrando suas entranhas.

Os chineses têm uma palavra que representa crise: wei chi que significa perigo e oportunidade. Que este momento possa ser vivido coletivamente e individualmente como uma grande oportunidade para reflexões e ações saudáveis.  

Dia 07, é um dia muito importante.

Considere como uma profunda inspiração traga para a sua vida o que é vivo.

Participe conscientemente, não perca a capacidade de se indignar, de ajustar as velas.

A flexibilidade se torna imperiosa e as soluções rígidas rapidamente se mostram ineficientes.  
       
Vamos focar na construção do bom presente. Estarmos atentos à semente e mirarmos a boa colheita a cada ato, a cada pensamento, a cada escolha.

Repensar escolhas e caminhos, é um grande ato de coragem.

Meus sentimentos são ancestrais. Estão gravados como memória em meu DNA, na minha filha, na minha neta. Minha mãe é sobrevivente do Holocausto. Aquele, que muitos ainda duvidam ter existido.

Acreditem, não se pode negar a LIBERDADE.


SOBRE O MEDO. GATOS E VULCÕES.













Sobre o medo.
Gatos e vulcões.
Escrito em outros tempos e com adendo de hoje, medo renovado.

Outro dia me deparei com a comemoração do Dia Mundial do Gato. Nunca soube sequer que esse dia existia e até alguns meses atrás, gatos representavam um desafio e tanto. 
Por um lado, me identificava muito com o jeito solitário e silencioso deles, com um viver sem fazer barulho, com o olhar de quem olha e vê, com um andar meio imperceptível, mas que acaba indo onde quer. Com a intuição que toma a frente de tudo, com uma comunicação sem palavras. Com aquele jeito macio de se encostar quando quer carinho.

Lia, perguntava, tinha certo fascínio, mas não podia me imaginar tocando em um ou sendo tocada por um deles. Tinha o discurso pronto, quando questionada por amigos gateiros ou por quem simplesmente não os tinha como um desafio. Dizia que não suportava aquelas presas, os miados, o corpo molengo, as garras retráteis, a língua que diziam ser áspera, os saltos que dão sem aviso prévio. Só a ideia já me causava arrepios, e nem ia a lugares que tinham gatos. Gatos pulam em maçanetas e abrem portas! E tampouco não achava justo pedir que os donos os prendessem de verdade, enfim. 

Até que há 10 meses, ouvi um barulho estranho perto de casa. Não parecia nada que eu conhecesse. Diziam que deveria ser um pássaro, mas eu achava que não. E assim foi durante umas duas noites. Até que durante o dia, um zumzumzum no vizinho chamou a minha atenção. O tal barulho, era um gatinho que devia ter umas três semanas, sendo ameaçado pelo cachorro da casa. Muuuitooo corajosa, pedi que minha filha fosse pegar o gatinho. Pedi que levasse um paninho para trazê-lo, pois não conseguia me imaginar pegando nele. E assim foi. Clara pegou o filhote e veio para casa. 

O contato com aquele corpinho mínimo me arrepiou no primeiro minuto, mas depois, naturalmente o aconcheguei. E nada do que me afligia, afligiu mais. Em nenhum momento pensei se ia ficar com ele ou não. Era como se ele já tivesse vindo sendo nosso. Demos o nome de Sereia, mas virou Céu, quando descobrimos que era um menino.
Aos poucos, apareceu a mãe, a irmã, os três irmãos da ninhada seguinte. Coco Chanel, Tomie Ohtake, Frida Khalo, Berta e Simão. Tentamos muito que alguém quisesse adotar os irmãos baby’s. Não aconteceu. E então, a família toda foi acolhida. Se minha intenção não era ter gato algum, imaginem seis. Mas não temos controle sobre tudo, aliás, sobre quase nada. Abandoná-los por aí? Isso não cabe dentro de mim. Como vou fazer quando viajar? Não sei. Como vou fazer quando isso, quando aquilo? Não sei também. Alguns meses depois, veio Moyses. Então os seis viraram sete.

Só sei que as soluções aparecem na medida em que precisamos resolver as coisas. Eu tinha o que eles precisavam: disponibilidade afetiva, espaço, cuidado, liberdade e proteção.
Eles, também tinham o que eu precisava. Me mostraram que o medo que eu pensava que ainda era vivo, já podia ser enfrentado, e percebi que ele não mais existia. E esse foi o grande aprendizado. 

Muitas vezes vivemos como se nossas dificuldades ficassem impregnadas em nossa pele, em nosso coração, em nossos pensamentos. Sequer questionamos se com o exercício do viver foram acompanhando nosso desenvolvimento. Esquecemos-nos de nos atualizar em relação a nós mesmos, e podemos deixar de viver inúmeras experiências, por conta disso. Podemos colocar nossa liberdade de lado por engano!

Não importa se são gatos, elevadores, relacionamentos, doenças, perdas, muita gente, pouca gente, lugar fechado ou aberto demais. Não importa se o futuro nos tira o ar, se o passado nos confunde, se o presente nos paralisa. O que importa, é que sem saber, você pode ter vivido tantas coisas, que aquele medo que pensa que tem, pode já nem existir mais. Sem saber, você pode estar preparado para enfrentá-lo! E com isso, se apoderar de uma parte de sua existência, que estava ali apertada num canto da sua alma, sem nem saber mais por que. 

Então, te convido a revisitar seus receios. Quem sabe, eles não tenham uma linda surpresa para você?

HOJE, meu medo é que o meu medo não seja o medo do coletivo, e que outros medos passem à frente e nos cubram com sua imensa Sombra. 

Meu medo é de que nos roubem a democracia, a liberdade de expressão. 

Que os sentimentos mais primitivos tomem atitudes que comprometam futuros. Que nossas crianças cresçam num país que negou sua luta, seu suor e se movimenta para trás. Num país que perdeu a memória e deixou moribunda a própria história. 

Que marchará rumo ao obscuro, dentro da espiral do mundo contemporâneo. O que querem nos entregar pode vir floreado para alguns tomados pelo torpor, mas que oculta violência, intolerância, fel e um ensurdecedor não à liberdade.
Estamos em ebulição. 

Vamos usar esta mesma energia e virar este jogo com consciência, iluminando nossos porões e atribuir o medo ao lugar a que ele pertence. 

Não podemos tratar de algo tão sério e determinante com desconhecimento e impulso.
Ainda dá tempo, considerem.

Mônica Bergamo

NOVIDADE PROMO PARA OS ANIVERSARIANTES DO MÊS



NOVIDADE!
A PARTIR DE AGORA, PROMO PARA OS ANIVERSARIANTES DO MÊS!
Acesse a página CONSULTAS do site e veja o novo botão PROMO do PayPal em até 4x.

FELIZ NIVER PARA OS DE OUTUBRO!

VÊNUS RETRÓGRADA A PARTIR DO DIA 05 e até dia 15 nov.





A pauta é pulsante, como tudo o que envolve Vênus, a nossa Estrela D’Alva...
É muito comum nesse momento, capricharmos nos equívocos entre aquilo que focamos como desejo e o que a coisa é de fato.

Não importa se é um sentimento, uma compra importante que fez. Procure averiguar com mais cuidado se aquilo que imagina ser É de fato. Tipo levar gato por lebre sabe como é?

Portanto, não se apresse até mesmo porque pode mudar de ideia. Então, atenção com as expectativas e considere se está pronto para o embate com a realidade.

Uma revisitada ao passado é inevitável e permite ajustes que podem ser prósperos.

Quanto aos assuntos do coração, amores de outros tempos podem ganhar oxigênio desde que haja de fato maturidade para repensar os ajustes em novos acordos. Do contrário, é fogo de palha.

Não é hora de decidir nada e sim apreciar, ajustar a rota e experimentar.
Desafios não faltarão, ideias e decisões amadurecerão.

Seja como for, lente de aumento nas relações, tudo precisa ser avaliado de perto.
Esta possibilidade de lidar com a Vênus retro acontece uma vez a cada um ano e meio e assim permanece por volta de 40 dias.










OLHA PRÔ CÉU 02 outubro, terça.







Quando a Lua está visitando o Caranguejo os humores ficam à

flor da pele. Principalmente em relação a assuntos que

envolvem questões familiares.

A necessidade de segurança se agiganta e qualquer ameaça real ou imaginária levanta escudos que complicam e muito a maneira das pessoas estarem em harmonia com seus assuntos.
Desconfortos emocionais ficam evidentes denunciando suscetibilidades. Qualquer coisa dita pode chegar atravessada com base em lentes de aumento coladas nas emoções.
Qual a reação mais natural a isso? Buscar imediatamente o controle, numa tentativa de estancar o que faz doer.
E isso envolve passionalidades, inflexibilidade, fantasias.
Não é hora de agir com base nestes sentimentos que tendem a distorcer a percepção e consequentemente atitudes. Quanto mais objetivo for melhor será.
Tem clareza das atitudes que quer tomar? Vai lá.
Mas se estiver tomado pela energia lunar cujas águas podem eventualmente turvar a sua visão, se aquiete.
#LuatensãoSol
#LuatensãoPlutão
#LuaharmoniaNetuno
#VénusharmoniaNetuno

OLHA PRÔ CÉU 01 OUTUBRO, segunda.





RELACIONAMENTOS é o meigo assunto carro chefe do início desta semana. 

Como virou textão, para não perder o costume, quem quiser vislumbrar o "tweet" do inicio da semana, entenda: você vai ser chamado a redimensionar a presença, o significado e o funcionamento deles, os meigos relacionamentos que nos trazem tantos pontos de interrogação e momentos de puro deleite, em sua vida.
Não evite, pois o desconforto será maior, já que andar em círculos cansa demais da conta. Ponto final da síntese.

Seguindo.

Com o Sol em Libra mais as circunstâncias, é tempo de esclarecermos para nós mesmos qual é a nossa turma nas várias parcerias que vão sendo tecidas, enquanto a gente pratica o viver.
E aí entra tudo o que cabe no humano, todas as parcerias possíveis e “de vez em muito”, as que se mostram fadadas ao insucesso também.
O que faz ou não sentido, se é ou não uma possibilidade deixar-se levar e ver no que é que vai dar. Se nos retalhamos com a parte que sabemos funcionar naquela determinada história, já que experimentamos que perfeição não existe, mas sim o que é negociável ou não desde que o sentimento tenha sua força. Se, uivamos nossa indignação ou simplesmente nos retiramos sem fazer barulho porque perdemos o desejo em investirmos energia amorosa ali.
Às vezes, a história é uma coisa para um e outra para outro e mesmo assim rola. Outras vezes, apesar da afinidade, desanda.
Nem gosto de falar muito disso porque me dá vontade de chorar todas as águas.
O espaço celeste acima de nós aponta para o investimento na busca de entendimento. Entendimento, pode ser inclusive aquela despedida que ficou faltando, o batimento cardíaco apaziguado de que foi possível dissolver mal entendidos.
Fosse fácil, ninguém ficaria tão em carne viva.
Experimentaremos um fluir em relação a isso, mas também precisaremos compreender as curvas deste assunto tão delicado, os relacionamentos.
Sejam pessoais, da cor vermelho bispo ou cor de pitaya, parentais, profissionais, intelectuais ou aquele simples ôi que damos diariamente para a mesma pessoa que cruzamos em nosso cotidiano e basta que seja assim.
É inadiável, esse confronto de “nós com nós mesmos”. Se isso ganhará forma do lado de fora, mil vezes viva para a comunicação que acredita no afeto, na disponibilidade e no fazer acontecer!
Existe uma exigência potente no ar, ou melhor, no céu e que obviamente reflete em nosso percurso individual e na sequencia, coletivo.
De nada adianta deixarmos o que precisamos fazer para lá, porque esses conteúdos vão se insinuando, minando, preste atenção para ver só! Quando a gente dá conta, estamos no doloroso modo automático das repetições que circulam, circulam e circulam.
Quebrar este ciclo é investir em consciência.
Transformar o circulo, de começo e fim invisíveis, em um movimento espiral que aos poucos ganha outro patamar.
Aproveite o final da Lua em Gêmeos para trocar idéias, se expressar com leveza. Quando passar para Caranguejo o assunto já fica mais tenso pelos aspectos que fará.
Não bastará um insight genial. Será preciso que ele “caiba”, que ele possa existir. O novo, original e criativo precisa se aproximar do real e funcionar.
Professor Pardal precisa dar utilidade às suas invenções mesmo que abstratas – na verdade nem tão abstratas porque tantas vezes a coisa fica feito tempestade que se arma entre as pessoas e que pesa cor de chumbo sem chover.
Faça sua parte, dê o seu melhor.
O universo costuma conspirar.